A data de validade da linguagem no plano científico tecnológico poluindo até a arte

Em toda profissão, principalmente as que lidam com Ciência e Tecnologia, enfim conhecimento, tem que se reciclar, rever todo o seu currículo a cada cinco anos afim de continuar competitivo. Temos que nossas universidades, dado que o mercado de trabalho encontra-se muito predador, em concentração de renda de maneira irreversível, muito em oligopólios e monopólios, está muito defasada em muitos casos há mais duas décadas e realmente tudo isto não é por acaso.
Talvez até de como certas ausências de pais e de mães estão sendo até manipuladas por setores de inteligência como a Francesa e americana, principalmente, creio eu.
Existe uma grande associação entre o estudo e o sexo. Os mais estudados, praticam mais sexo mundialmente falando. Tal é a indireta praticada em certos meios por acrônimos, sopas de letras, que não são sinônimos muitas vezes, porém, parecidos com sequestros de subjetividade, quando em antônimos, que sejam como: CRM – Customer Relatioship Management – Sistemas utilizados pelo mundo afora para conquistar, fidelizar cativar o seu cliente, ainda que sejam as empresas predatórias e monopólios e oligopólios. São alcatéias de lobos aonde numa matilha, um não come o outro, ainda que em grupos as pessoas não sejam muito sinceros, até mesmo por questões de assimilação de poder ou mesmo assimilação cultural… Os antropólogos sabem bem do que estou dizendo… CRM – Conselho Regional de Medicina. Que sejam produtos e entidades nesta relação mental, no politicamente correto, mas que numa carga maior de direcionamentos, que acontecem no plano real, perturba mesmo, esgotam estímulos, autoafirmam, fragmentam e fragilizam toda uma Ciência importante, aumentam o Stress de profissionais de TI, Médicos e etc.
Afim de manterem-se parques industriais sem grandes mudanças ou mesmo estruturas públicas, empresas como a Microsoft Corporation, que detém produtos como o Microsoft Windows, tem em sua estrutura ideológica estes mesmo conceitos de sopas de letrinhas, os SOAPs, fragilizando até por meio de outros mecanismos como sósias recentemente em mimetismo, como camaleões que mudam de cor para sobressair, mudam de tamanho, modas temporais indianas como o Google também utiliza, dentre outros, a Microsoft mantém a sua presença em Relações Públicas de governos de maneira intocável, por meio de influências até em justiça, ainda como notória competência e especialização em plena era do Open source… Como a resposta Linux não tem tanta coesão, porém emprega um pouco mais e distribui este ativo permanente, temos inúmeros Linuxes surgindo, como resposta à necessidade por soluções do mercado de trabalho, porém, esta com uma certa deixa ao Open source, em sendo fragmentado, pois esta fragilização interessa ao setor Clinton principalmente, contudo, devido a redução de custos de TCO – Total Cust of Ownership, redução do custo total de TI, este mercado hoje concentra mais de 67% de sua presença em servidores web, sendo uma exceção dentre outras aonde isto realmente não ocorre em software, por exemplo como o Office, apesar de o Libreoffice ser um grande produto. Ainda temos que o Vale do Silício anda meio de capacidade ociosa, tendo estes servidores e dados sobre eles que ser atualizados também em função disto.
Enfim, a comunicação precisa estudar mais e como formadora de opinião, precisa muito mudar isto, de um certo grau para acabar com os “Jucas”, festivais de jovens da ECA, que acabam com algum problema, que de quando em vez nos atrapalham a todos, hoje em nossas casas! Um esmero, um amor maior, afim de que deixemos certos operandi de “casta” dentre nós, corporativismos tanto da chamada Direita, quanto da dita esquerda e até poder paralelo, principalmente nos que sobrevivem a tudo isto de certa maneira ainda.
Somos realmente infelizes até em didática, ultimamente. Não é totalmente culpa do setor Custeau e o Alemão da Mídia, mas eles têm e muito que ver com isto! Com uma certa ditadura no campo da psicanálise, psicologia e psiquiatria de seus Call e Contact Centers…
Por outro lado, ainda a taxonomia, os nomes de remédios e até terminologias de suas composições, veículos, se posicionam em taxonomias límbicas, no cunho de lembranças, em que as grandes empresas alegam que é para acessar melhor os seus canais de vendas, mas que há esta outra estratégia envolvida, a de “esgotar” os nossos estímulos, após os 34 anos, quando o cidadão brasileiro é trocado pelo mais jovem nas relações de mercados, o que se sujeita mais, o brasileiro praticamente é desprezado em termos de mercado de trabalho, nesta data de validade acadêmico científica, inclusive. O raciocínio multinacional é este!
Temos uma morte importante neste quesito a ser enfrentada e diminuída pelo CRM, o Médico… E a Ciência precisa voltar a curar, em sendo mais causalística… A Didática, a Mídia, enfim, o mundo acadêmico científico tem que rever os seus conceitos, o plano corporativo precisa voltar a ter nomes próprios, assumir mais os seus atos e fatos, pois do contrário, deixando a Ciência mais em mercados, ficaremos todos num campo cada vez mais infértil e teremos menos felicidade… De menos marcos civilizatórios… Apenas estou neste nível porque só tive que parar de assistir a TV maior e em guerras por seguros…
Afirmo também que temos problemas que desencadeiam autoafirmação pública, com acrônimos que se situam em áreas de antônimos ou mesmo sinônimos, do ponto de vista de uma relação de grupos sociais em linguagens, símbolos, sou programador analista, consequentemente um pouco mais perceptível a símbolos, algo que minha esposa não o é, apenas em pessoas monitoradas e em sucessão isto fica mais evidente, e há grupos com esquemas do continente Africano, já aplicando estes sistemas de monitoramento e até alma, em laboratórios de exames, há a necessidade de se consultar todas as pessoas que se acham vítimas disto, para saber se ocorre o mesmo que ocorreu comigo, nestes “nichos”, enfim este “boi de sequestro”, no mínimo, que está também em:
SMS – Mensagens de celular, Empresa de nobreak, Secretaria Municipal de Saúde;
CBS – Utilizada em placas de ônibus, sendo do mesmo “clam” – Comunicações Brasil Sat dentre outros como a empresa de Robert Morton, do setor de inteligência americano e ex-programador da CBS;
ECT – Utilizado em placas de rua e também nestes ônibus locais, sendo Empresa de Correios e Telegrafos;
CBN – Utilizado em placas de carros de particulares e também sendo a sigla de uma importante emissora de rádio, talvez antônimamante;
At al – Significa: “E outros” relacionado a autoria de livros, ETC.
E inúmeras outras que formam um inferno astral no campo mental de seres humanos monitorados levianamente do ponto de vista de pessoas como eu já fui, que realmente são direcionadas por sua necessidades econômicas a ir ou não até nas zonas de influência destes grupos, denotam e conotam que tal monitoramento está sendo utilizado com este mesmo tipo de esgotamento de estímulos, autoafirmação entre outros aspectos tangíveis e ou intangíveis como o afastamento de memória, de grupos sociais, enfraquecendo vínculos, temos que eles utilizam-se deste sistema como:
Por exemplo em didática Médica, o termo Escoliose – Um problema de coluna, utilizado até como humor negro num recalque incompleto de um cidadão do vulgato, de popular, poderia passar o seguinte expediente, a seguinte mensagem degradante da Ciência, enfim os “retos” entenderiam como: Escola(Unifesp) Li(Chines) ose(doença). Doença do Chinês… É uma intangibilidade que deslocada em reações em cadeia, produzem esgotamento de estímulos e sequestros de subjetividade por estes grupos e afastamento do saber, principalmente os clássicos, numa lógica de Status quo, dos prováveis mandantes :
– Sindical – Motadoras – Detran;
– Abert em seus associados todos – Detran;
– Acadêmicos como Unifesp, USP, Objetivo, APM de Médicos dentre outros – Sujeição a Lobies de Grupos farmacêuticos e Ciência e Tecnologia de fora do país, principalmente, sendo que as farmácias, em especial os suplementos, são o ramo deste varejo com maiores atravessadores em termos de preços ao usuário final.
– Ladrões do poder paralelo como uma placa de carro falsa e de outrem, no carro de alguém, para prejudicar a outras que podem ser pessoas de bem, como clonagem destas placas;
Certos preconceitos e separatismos também são produzidos como diversão, diante da teoria do estímulo por publicitários nazistas do passado ariano até hoje, viramos muito comediantes até, muito demonstrado por Carl Jung no sentido de terapia resiliente por seus livros sobre símbolos, enfim há grupos utilizando-se destes expedientes de acordo com as suas próprias concupiscências, relatado até pela Bíblia em 2º Timóteo 4º, demonstrado que isto tem mais de 5000 anos no campo até da antropologia Campbell.
Enfim, são lembranças e que também são verdadeiros “sortilégios”, “malefícios”, como acredito mesmo que o foram há décadas neste país e mundo, sua assimilação e até antagonismo do ponto de vista acadêmico de antropologia, do poder local e suas relações de comércio e de interesses exteriores, que em meu ramo foi Ciência e Tecnologia, principalmente, afetando bens e direitos das pessoas, afastando-os de bens públicos, de vida pública.
Acreditemos em resiliência neste problema todo. É necessário mudar esta consciência hoje de “casta”, feudos, cartéis, para isonomia constitucional, aonde todos tenham que resignificar este conceito hoje de “magna”,  para CF – Constituição Federal, num estudo melhor e maior, não podendo ser realizado pelos mesmos Drs. que as construíram, relembro. Há conflitos enormes!
Ou resolve-se os problemas ou acostuma-se com as dores… A isonomia constitucional precisa mesmo ser meta em nosso país!
Em TI respeitar-se é um bom começo, parar um pouco, se desadaptar, respeitar férias, finais de semana, contatos com familiares, ter animais, plantas, ir a uma praça, enfim viajar também é muito importante: Detox é assim!
O apego exagerado as normas esconde incompetência assim como o apego exagerado a estética esconde ausência de um conteúdo de vida.
De certa maneira a moda impulsiona tendências, porém quando em exageros e sem o devido estudo, produz um mundo tal qual o vemos e aonde muitos querendo ser o que não são numa esquizofrenia social, que tanto nos aflige, bastando que cada qual, encontre um meio de mudar o seu mundo e o mundo para que o mundo volte a ser mais fértil do que vem sendo, até em termos de reprodução, que toda a poluição, seja a ambiental, seja a psicológica estão acabando com o homem.
Eu percebi um movimento importante e relações muito conflituosas e em trade-offs(Competição leal e desleal), em que o Estado brasileiro, detém dívidas públicas importantes, e de pastas também importantes, rolando em dotações de orçamentos importantes e na classe média preponderantemente em detrimento dos demais, por conta de personalidades também importantes desta mesma classe importante, seu público alvo, o target projetivo até. Algo que se utilizado de qualquer maneira, e sem a devida coesão, de uma Ciência que perde espaço para tecnologias, num raciocínio mais mercantil e menor, pode quebrar mídias em atividades importantes e inteiras neste nosso país, pelo operandi observado em minha pessoa, a chamada “cabeça”, perdendo profissão, por meio de filtros de imagem principalmente do setor “doença” aonde deveria ser “saúde”. Estas contas públicas ou mesmo isenções, no meu modo de ver, de um cidadão que também quer e precisa sair de cidadelas, neste contexto, de alguns corporativismos e de casts, não muito próprios e mal assumidos, que vivi em metro linha 743, de Raul Seixas semelhantemente falando, me sentia nisto também, então, por isto é que apenas e tão somente, acredito que estas contas poderiam no meu modo de ver, serem utilizadas como tal, como sobras que sejam desta outra fonte, mediante resultados positivos e mensurados até economicamente falando, com ROISS – Retornos sobre os investimentos sociais, desde que diminuam os custos e despesas das pastas em que o Estado Brasileiro, tem estas ditas dotações ou mesmo isenções fiscais aos mesmos em toda a sua cadeia de valor agregado, inclusive. E os CRMs, APMs e CFM Médicos e Afins, devem responder por elas até por omissão e ou converterem isto, em dotação própria e específica, transparente ao povo, pra não necessitarem de mais nenhum “bode-expiatório”, como me senti e sinto, uma vez “duda”, “dúvida” em espanhol, sempre “dúvida”, para encontrar este “jabá” dentre os mesmos das rodas de acadêmicos, apenas muda-se de mão, como que num acordo de cavalheiros, dos idos medievais, para seus grupos corporativistas… Então Drs., esta conversa já está longe demais… Que a conta não pode dar lucro, disto juridicamente até bem sei, mas é necessário mais transparência quanto a isto e resiliência, pois os psiquiatras, psicólogos, psicanalistas e etc. destas emissoras estão indo longe demais no desrespeito a Ética e em verdadeiros atentados a Constituição, quanto aos direitos e as garantias individuais, Kant não é suficiente, precisamos ir além, as dificuldades e problemas sociais precisam de respostas melhores e maiores… Não fui nem o OK? Tá certo? Não fui e não sou engenheiro social de nada e nem cargo público tenho, sou um cidadão, muito que vivendo em cidadela, por conta de tais liberdades assistidas, liberdades que sequer tem contratos ou mesmo autorizações, totalmente prescritos em termos de procedimentos de saúde, enfim, o único que percebi que atuou da maneira correta da influência da IURD da rede Record, por exemplo, foi o prefeito Marcelo Crivella, que cobrou a Unimed, as dívidas dela em sua prefeitura, então é necessário acabar com estas rosinhas(em menção a pasta rosa) por conta própria, esta conversa acaba nisto… Estas falsas cortesias com o chapéu de outrem, precisam ter fim! Pois acabam por perfazer um veículo desgovernado em todas as nossas vidas! Ninguém pode ser “besta” de ninguém… São famílias inteiras que podem estar indo para o caixão… Não é chacota… É realidade, naqueles Ivo Holandas, há relatos de gente que levou até pregos nos olhos, relatado isto em show da Legião Urbana ao público, e assisti a isto pelo youtube também… Será que vamos continuar sabendo que fomos por aí, pelos outros? Cadê a Ética do setor? Século 21. Não? Espero que os seus dirigentes de mídias e suas relações com todas as suas relações públicas, de governos ou privados, revejam todo este operandi, e que se estude uma Mídia, melhor, maior e mais saudável, de melhor comunicação social e menos poder, que é o que esperamos de vocês, que nos ajude a ir rumo a um país mais soberano e não anarquista, como os venho notando diante de mim e dos meus!!!!!!! Precisamos de mais sábios também por aí!!!!!!! Gostei desta matéria: Parabéns! Porém, é necessário que meditem por sobre tudo isto, que será o diferencial de mídia que espero em relação a governos principalmente, que mais precisamos e agente só vive isto e desta maneira quando está desempregado, momento em que agente mais precisa ver Ética e vemos o contrário, o antagonismo e a assimilação, sem a devida tropicalização à nossa realidade latente… Boa sorte, se decidirem mudar de caminho nesta resiliência importante que estou apontando! É necessário transcender nisto! (1º Corintios 8, 2º Timóteo 4, Tito 3)
Valeu! Basicamente eu era isto nesta referência cruzada, psicológica até… E após descobrir este convalescimento cerebral, esta validade humana de mercado, aonde o GPS humano, o meu está em jogo, o meu mecanismo de instinto de sobrevivência, que ficou abalado pelo Mercado, estou revendo a minha relação para com isto tudo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *